Marca Maxmeio

Notícias

Home · Notícias
23 de agosto de 2019

Juízes debatem luta política da Magistratura no Encontro Anual da AMATRA IX

A atividade do primeiro dia contou com a participação do juiz Luciano Athayde, que presidiu a Associação Nacional no biênio 2009/2011 e da juíza Daniela Lustoza Chaves, vice-presidente da Amatra21 e integrante do Conselho Fiscal da Anamatra.

A juíza Noemia Porto, presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), participou, nessa quarta (21/8), no Rio Grande do Norte, do Encontro Anual da Associação dos Magistrados do Trabalho da 9ª Região (Amatra 9/PR).

A programação do evento contou com painéis dedicados a discutir, dentre outros temas, o movimento associativo. A atividade do primeiro dia contou com a participação da presidente da Anamatra e, ainda, do juiz Luciano Athayde, que presidiu a Associação Nacional no biênio 2009/2011, da juíza Daniela Lustoza Chaves, integrante do Conselho Fiscal da Anamatra, e da presidente da Amatra 9 (PR), Camila Caldas.

“O encontro evidenciou a pertinência de, no evento associativo, ser construída oportunidade para discutir o próprio movimento, bem como a importância das associações como espaços de socialização e de luta política da Magistratura”, analisou Noemia Porto que, em sua fala, referiu às diversas pautas atuais da Anamatra, entre elas a alteração da reforma da Previdência (PEC 6/2019) e a valorização da Magistratura.

O juiz Luciano Athayde fez um resgate da formação e da transformação das associações ao longo do tempo. Também fez parte da abordagem do magistrado o momento que referiu como sendo de profissionalização da Magistratura do Trabalho, com o advento da Emenda Constitucional 24/99, que extinguiu a representação classista na Justiça do Trabalho, movimento que contou com a importante atuação da Anamatra.

Já a juíza Daniela Chaves abordou o tema da presença feminina no Poder Judiciário, incluindo, entre outros aspectos, a edição, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), da Resolução CNJ 255/2018, que instituiu a política nacional de incentivo à participação institucional feminina no Poder Judiciário. A institucionalização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 no Poder Judiciário também foi destacada pela juíza.

A presidente da Amatra 9 (PR), por sua vez, falou das dificuldades na construção da unidade da Magistratura nacional.

O encontro, que propicia o congraçamento dos magistrados, segue com programação até esta sexta-feira.

 

Autor: com informações da Ascom Anamatra