Marca Maxmeio

Notícias

Home · Notícias
14 de novembro de 2018

AMATRA21 faz corrente do bem pelos refugiados venezuelanos recebidos em Caicó

Na terça-feira (13), a associação fez a entrega de berços para aquelas famílias que necessitavam.

Há pouco mais de um mês, 60 venezuelanos foram recebidos em Caicó sendo instalados em cinco casas localizadas na Aldeia Infantil SOS do município – preparadas para recebê-los pelo Programa Humanitário Brasil Sem Fronteiras em parceria com a ACNUR, agência da ONU para refugiados –, e recepcionados por uma comitiva do Poder Público local que lhes deram boas vindas, passando por inspeção de saúde, recebendo vacinas e tendo a situação regularizada no país, com a emissão, inclusive, de CPF e carteira de trabalho.
 
“Todo o trabalho é coordenado pelo Programa de Emergência ´Brasil sem Fronteiras´, que se propõe a promover a interiorização desses venezuelanos, protegendo e cuidando de todos, o que inclui cuidados para crianças desacompanhadas e separadas, centros de cuidados provisórios para crianças, reagrupamento familiar, espaços amigos da criança, além de apoio psicológico e social, apoiando às famílias com saúde, alimentação, nutrição, abrigo, educação, água e higiene, a depender da necessidade”, explicou Francisco de Assis Santiago Júnior, Gestor de Aldeias Infantis SOS do RN há 21 anos.
 
Do total desses refugiados, metade são crianças e adolescentes de até 13 anos. Diante desta realidade, foram criadas diversas campanhas para conseguir promover uma melhor condição de vida em meio à sociedade caicoense.  A AMATRA21 também entrou nesta corrente do bem – liderados pela juíza Marcella Alves, diretora Cultural, Social e Esportiva da associação -, arrecadou, a partir da iniciativa dos próprios associados, uma quantia generosa que resultou na compra de sete berços para os bebês daquela comunidade e mesmo aqueles que ainda vão nascer.
 
“No momento em que soubemos da vinda desses refugiados, numa conversa entre os associados, tomamos juntos a iniciativa de fazermos algo por eles.  Aliás, promover esse tipo de trabalho social é uma das finalidades da AMATRA21, uma vez que temos ciência da importância dessas iniciativas em prol da sociedade.  Dessa maneira, procuramos saber quais eram as maiores necessidades, e entre elas estavam os berços”, disse Marcella Alves.
 
A entrega foi feita nesta terça-feira (13), pela juíza Rachel Vilar, titular da Vara do Trabalho daquele município.

Autor: FLAVIA FREIRE