Marca Maxmeio

Notícias

Home · Notícias
11 de setembro de 2018

Encontro Institucional segue a tarde com palestras e momento com a AMATRA21

Durante a programação houve um momento com a diretoria da AMATRA21, uma inovação em relação aos encontros anteriores.

A programação do V Encontro Institucional de Magistrados do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, durante a tarde desta terça-feira (11), foi para debater a Governança Participativa e os novos desafios para a gestão democrática na Justiça do Trabalho.

Expositor da tarde, o juiz do Trabalho, Luciano Athayde Chaves, do TRT21, disse que o objetivo de sua palestra foi o de discutir alguns fundamentos, históricos e conceituais, da governança no espaço judiciário.

“Essa é uma forma participativa e efetiva de maximizar os recursos disponíveis em função dos serviços prestados pela Justiça, diante da complexidade que essa discussão assume no panorama de uma organização judiciária como a brasileira, por sua gigantesca estrutura e diante de suas enormes contradições”, argumentou Dr. Luciano Athayde, propondo uma reflexão sobre a construção da identidade do juiz, enquanto gestor e titular do poder.

Em seguida aconteceu um encontro com a diretoria da AMATRA21, uma inovação em relação aos encontros anteriores. Na ocasião, o presidente da associação, Inácio Oliveira, afirmou que o Encontro Institucional é o momento em que o Tribunal se volta para os magistrados, daí a necessidade de  garantir a sobrevivência desse evento.

“Devemos trabalhar cada vez mais para abrir os canais de comunicação, observarmos a accountability e pensar o futuro de nossa instituição”, disse Inácio Oliveira.

 “Foi um momento importante em que a diretoria dialogou com os associados, ouvindo suas sugestões, bem como expondo as propostas da diretoria recém empossada”, explicou a juíza do Trabalho e diretora secretária e de Comunicação Social da AMATRA21, Daniele Lustoza.

Ainda houve a exposição sobre assédio moral e organizacional no judiciário, com o psicólogo da Justiça Federal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, Luiz Cassano, em mesa presidida Juiz Alexandre Érico Alves da Silva.

 

Autor: Flávia Freire