Marca Maxmeio

Notícias

Home · Notícias
13 de dezembro de 2017

Confraternização: alunos, familiares e professores do Projeto KAJU comemoram conquistas de 2017

O KAJU é realizado a partir da parceria entre a Associação dos Magistrados do Trabalho da 21ª Região (Amatra 21) e o programa RN Vida, desenvolvido pelo Governo do Rio Grande do Norte.

Dezembro é o mês oficial das confraternizações! Período em que amigos e familiares se reúnem para comemorar tudo o que foi vivido ao longo do ano. Para os alunos e professores do projeto ‘Karatê e Justiça ao alcance de todos’ (KAJU) não foi diferente: o ginásio do CAIC no bairro de Lagoa Nova foi o local escolhido para agradecer as realizações de 2017, em uma confraternização animada.

O KAJU é realizado a partir da parceria entre a Associação dos Magistrados do Trabalho da 21ª Região (Amatra 21) e o programa RN Vida, desenvolvido pelo Governo do Rio Grande do Norte.  Os alunos, familiares e os professores tem bons motivos para comemorar, sejam pelas conquistas ao longo do ano em campeonatos ou pelo aumento no número de alunos nas turmas com aulas gratuitas de karatê.

O professor de Karatê Marcio Oliveira celebra: “estou muito feliz pelo progresso do projeto KAJU, pela adesão, empenho, mudança de consciência, assiduidade e também crescimento dentro do esporte por parte dos alunos. Me anima também vê o aumento na participação dos esportistas, inicialmente eram 5 alunos, hoje são 32, é sinal de que o projeto KAJU é eficiente. A preparação e esforço de cada em traz muita alegria, pude prepará-los para um campeonato e na primeira participação já trouxeram medalhas, foram destaque, o que mostra a dedicação ao esporte e ao projeto.” Marcos ainda falou da importância da parceria com a AMATRA 21 no desenvolvimento durante o ano: “A AMATRA deu todo apoio durante o ano, não somente na parte financeira, mas no estímulo para alcançar as metas, é muito bom encontrar pessoas do bem e dispostas a ajudar”, afirmou.

A alegria não é somente do professor, é também dos alunos. O aluno faixa vermelha Marcelo Daufemback, de 15 anos, pontuou o quanto sua vida mudou ao ingressar no projeto KAJU: “É muito clara a evolução do programa durante o ano, que impressionou a todos, porque sabíamos que ia evoluir porque nós víamos muito amor por parte de todos e com amor tudo dá certo. Quando entrei no projeto a primeira coisa que pude sentir foi a proteção de todos comigo, construímos uma amizade que vai além do tatame, ela incentiva e ajuda no desenvolvimento de um modo geral, com eles posso contar sempre em todos os setores da minha vida, não me sinto só.” Marcelo transborda gratidão ao falar da participação do professor na união da equipe “não é simples fazer um trabalho voluntário e se dedicar a um esporte, o professor Márcio dedica tempo e carinho por isso aqui e nos faz perceber que tudo pode ser transformado quando se tem amor”, comentou.

Rayane Soares de 18 anos, descobriu que o programa KAJU poderia ser um aliado na evolução da concentração e com isso colaborar na vida escolar: “Quando eu entrei aqui a minha maior dificuldade era a concentração, eu não conseguia me concentrar nem aqui, nem na escola e por isso tinha medo, hoje com ajuda dos meus amigos e dos professores consegui não só me concentrar aqui, mas na escola e em outras áreas da minha vida que sentia necessidade, o Karatê me ajudou muito”. Rayane foi a primeira menina da turma e conta como o respeito também foi um grande aliado em sua evolução no esporte, “só tinha eu de menina, era engraçado e estranho porque eu tinha receio das coisas serem diferentes pelo fato de ser menina, mas não foi, eles cuidavam de mim e sempre demonstraram respeito, com o passar do tempo outras meninas entraram no projeto e hoje formamos um grupo unido”.

“Respeitem tudo e todos, o respeito é a engrenagem do mundo”, completou Rayane.O respeito citado por ela foi lembrado na fala final do professor Rafael Oliveira que junto com Marcos participou do treinamento e evolução dos alunos ao longo do ano, “se não tiverem respeito nada vai ter sentido, o mundo para quando a gente deixa de respeitar o outro, quando tem preconceito com raça, com credo, orientação sexual. De tudo o que foi ensinado aqui para vocês e de todas as coisas importantes que foi falada durante o ano, o respeito é o que não devem esquecer, porque o respeito é a engrenagem do mundo e quando a gente deixa de praticar o mundo para e entra em colapso. Nós podemos transformar tudo se respeitarmos uns aos outros, se olharmos além”, finalizou.

 

CONFIRA NOSSO ÁLBUM DE FOTOS: CLIQUE AQUI!